HISTÓRICO




A ORIGEM DA SOCIEDADE

Como é público e notório, a maioria dos motociclistas de estrada apreciam pilotar suas motos em boa companhia, pois passear ou viajar em um Trem de Motos (Comboio Civil) é mais seguro e mais divertido, além de possibilitar a oportunidade de consolidar velhas amizades e fazer novos amigos.

Há alguns anos, o Grupo Izzo (São Paulo - SP) detinha o monopólio da marca Harley-Davidson no Brasil. Em 2004, foram criados os primeiros HOG Chapters no Brasil, quando a concessionário no Rio de Janeiro, tinha sede na Avenida Olegário Maciel. Nesse ano foram indicados pelo gerente da concessionária Rio Harley-Davidson, Zé Roberto, para ocuparem as funções de Chapter Director e Assistent Director, os motociclistas Artur Albuquerque (Coronel da FAB) e pelo Eduardo Paes (Promotor Público Estadual).

Naquela época, os Trens de Motos do Rio de Janeiro Chapter (HOG Rio) se deslocavam sem uma estratégia segura de progressão na via. A orientação de praxe aos motociclistas participantes era, basicamente, seguir o Road Captain, que conduzia o Trem de Motos segundo as suas próprias convicções, fazendo o melhor possível.

Durante muitos anos, apenas o Director e o Assistent Director conduziam os Trens de Motos do HOG Rio, todos os sábados, em Bate & Volta (passeio) ou Bate & Fica (viagem), porque existia apenas essas duas funções no efetivo da Diretoria.

Como o passar do tempo e acidentes ocorridos, era premente criar e implementar uma instrução básica de pilotagem, que possibilitasse aos membros do HOG Rio um nível razoável de SEGURANÇA, em seus passeios e viagens.

Então, no início de 2014, a Rio Harley-Davidson autorizou que fossem implementados WORKSHOPS DE PILOTAGEM DEFENSIVA, propostos e concebidos pelo Diretor do HOG Rio - Artur Albuquerque.  O conteúdo de instrução baseado na Experiência de Estrada, adquiridas durante muitas viagens pelo Brasil e pelas Américas, além da experiência de participação constante em Trens de Moto de harleyros, desde o ano 2000, foram consolidados nos MÓDULOS DE PILOTAGEM DEFENSIVA, que passaram a ser regularmente ministrados na concessionária.

Esses Módulos PD foram desenvolvidos e elaborados com fulcro em apenas dois Princípios Críticos de Deslocamento, ANTECIPAÇÃO e MOBILIDADE, criados para nortear a dinâmica do deslocamento da moto na via. Ou seja, em lugar da pilotagem intuitiva que estava acostumado a empregar na via, orientado pelos novos Princípios, o motociclista passaria a empregar uma ESTRATÉGIA DE DESLOCAMENTO específica para moto, fazendo escolhas racionais ao empregar Protocolos de Pilotagem Defensiva, que possibilitariam o MELHOR DESEMPENHO e a EFETIVA REDUÇÃO DE RISCO.

Assim, o conhecimento foi sendo aperfeiçoado, durante os anos de 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018, quando foram mantidas as diretrizes originais pela concessionária Rio Harley-Davidson, consolidando a DOUTRINA DE PILOTAGEM DEFENSIVA, que é a base do PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO DE ROAD CAPTAIN, que visa capacitar o motociclista com os conhecimentos imprescindíveis para liderar um Trem de Motos na via ou para viajar sozinho.

Então, a principal consequência do trabalho desenvolvido, nesse período, foi o RECONHECIMENTO e o RESPEITO granjeados pelo HOG Rio, entre os HOG Chapters brasileiros, devido aos harleyros cariocas acumularem respeitável quilometragem de estrada, sem qualquer intercorrência significativa, em passeios e viagens, por várias estradas do Brasil e da América do Sul.

Na gestão de 2019, novas ideias e atitudes definiram um novo perfil para a Diretoria do HOG Rio, que rompeu com a experiência acumulada no passado ao eliminar todos os Road Captains de gestões anteriores, quebrando o processo de transmissão do conhecimento, que costumava ocorrer entre os Road Captains novos e antigos. Lamentavelmente, a consequência deletéria para o motociclismo no HOG Rio era previsível.

Então, a fim de preservar e continuar transmitindo o conhecimento consolidado na DOUTRINA DE PILOTAGEM DEFENSIVA, que fora desenvolvida com total dedicação por anos a fio, foi criada a SOCIEDADE DOS VIAJANTES DE MOTO - SVM, em 18 de maio de 2019, inicialmente, como uma ação entre amigos, sem fim lucrativos, a ser estruturada e integrada por MOTOCICLISTAS VIAJANTES DE MOTO, com a finalidade precípua de praticar e disseminar a DPD, visando capacitar todo irmão ou irmã motociclista a empregar a DINÂMICA IDEAL DE DESLOCAMENTO DA MOTOCICLETA na via, visando o MELHOR DESENPENHO e a EFETIVA REDUÇÃO DE RISCO.

Rio de Janeiro, 20 de dezembro de 2021. 

Artur Albuquerque

Presidente SVM