CERTIFICAÇÃO E PROGRESSÃO DE ROAD CAPTAIN

SOCIEDADE DOS VIAJANTES DE MOTO

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO E PROGRESSÃO DE ROAD CAPTAIN

1. INTRODUÇÃO

Para que um Trem de Motos ou Comboio Civil de Motocicletas se desloque com SEGURANÇA e FLUIDEZ na via, é imprescindível que o grupo de motociclistas tenha a necessária organização e o imprescindível CONHECIMENTO específico para NÃO OBSTRUIR O TRÂNSITO dos demais veículos e REDUZIR O PRÓPRIO RISCO. Assim, a progressão do Trem de Motos na via é orientada pela motocicleta, que se situa na primeira posição do comboio, cujo motociclista é tradicionalmente designado por Road Captain (RC).

2. FINALIDADE

O Processo de Certificação de Road Captain (CRC) consiste na parte teórica, fundamentada na Doutrina de Pilotagem Defensiva, e na parte prática realizada durante o evento denominado Road Captain Test Ride Days, com a finalidade de avaliar e certificar a capacitação básica do motociclista para desempenhar essa importante função, caso aprovado.

3. DOUTRINA DE PILOTAGEM DEFENSIVA

A Doutrina de Pilotagem Defensiva (DPD), desenvolvida desde 2014 pelo seu autor intelectual Artur Albuquerque Silva Filho e ministrada na Sociedade dos Viajantes de Moto (SVM), é lastreada em 2 (dois) Princípios Críticos de Deslocamento, denominados ANTECIPAÇÃO e MOBILIDADE, que fundamentam os PROTOCOLOS DE PILOTAGEM DEFENSIVA deduzidos, os quais capacitam o motociclista a REDUZIR O RISCO NA VIA.

4. ROAD CAPTAIN TEST RIDE DAYS

O Road Captain Test Ride Days (RC TRD) é um evento periódico realizado pela SVM com duração de dois dias consecutivos, sendo um DIA DE TREINAMENTO e um DIA DE AVALIAÇÃO, quando o motociclista deve demonstrar o conhecimento adquirido da DPD ao empregá-lo na via.

4.1. DIA DE TREINAMENTO

Para o Dia de Treinamento é formado um Trem de Motos com os candidatos a RC, que será supervisionado por um Instrutor e conduzido por uma Equipe de RC previamente certificada pela SVM. Durante o deslocamento, a ser realizado na estrada, cada candidato terá a oportunidade de liderar o Trem de Motos, em um percurso aproximado de 50 km. Após cada percurso, é realizado um Debriefing, comentando os erros e as correções correspondentes a serem efetuadas.

4.2. DIA DE AVALIAÇÃO

O Dia de Avaliação é semelhante ao Dia de Treinamento em termos de mesmo roteiro e sequência de candidatos a RC na liderança do Trem de Motos.

4.3.  EQUIPAMENTO DE PILOTAGEM

A fim de poder participar do RC TRD, o motociclista Aluno deverá portar os seguintes equipamentos de pilotagem, abaixo sugeridos:

a. Capacete FECHADO;

b. Jaqueta com PROTEÇÃO de coluna e extremidades;

c. Luvas INTEGRAIS;

d. Calças jeans ou de kevlar;

e. Joelheiras e cotoveleiras com proteção;

f. Botas cano longo;

g. Roupa de Chuva: e

h. Roupa de Frio.

 

4.4. EXIGÊNCIAS

A fim de poder participar do RC TRD, o motociclista candidato a RC deve atender as seguintes exigências:

a. Ter participado do Programa de Imersão em Pilotagem Defensiva da SVM, com base na DPD, obtendo a totalidade dos certificados previstos;

b. Estar com a MOTOCICLETA EM BOM ESTADO DE CONSERVAÇÃO quanto a pneus, luzes, freios, com a suspensão e pneus calibrados, além da manutenção periódica realizada e da documentação pertinente em dia;

c. Baixar do website www.svm-pd.com.br o TERMO DE RESPONSABILIDADE, preencher, assinar e entregar ao Instrutor no início do Dia de Treinamento;

d. Possuir CNH Categoria A (Válida);

e. Portar Equipamento de Pilotagem acima recomendados;

g. Confirmar a Inscrição para o RC TRD; e

g. NUNCA ULTRAPASSAR OS PRÓPRIOS LIMITES.

5. REGRAS COMBINADAS

a. Durante o RC TRD, o motociclista candidato a RC utilizará a sua própria motocicleta, que deverá estar em PERFEITAS CONDIÇÕES DE USO, com TANQUE CHEIO, LUZES TESTADAS, SUSPENSÃO CALIBRADA e PNEUS CALIBRADOS, a fim de não prejudicar a própria qualidade do desempenho na pilotagem.

b. No caso de PANE OU ACIDENTE, o socorro previsto é o disponibilizado pela concessionária da via, pela própria SEGURADORA ou pelos órgãos públicos, com o apoio e acompanhamento de um dos motociclistas, Instrutor ou candidato a RC.

c. O vínculo de relacionamento combinado para a instrução, entre ambos os motociclistas Instrutor e candidato a RC é informal e de ação entre amigos.

d. A simples participação nos Trens de Treinamento e Avaliação do RC TRD significa que o candidato a RC aceitou, tacitamente, as regras combinadas.

e. Em nenhuma circunstância, durante o Treinamento ou Avaliação, o RC em avaliação poderá ultrapassar a velocidade de 120 Km/h.

f. Às decisões dos Instrutores da SVM sobre o resultado da avaliação ou o grau de avaliação não cabem recurso.

6. INSCRIÇÃO

A Inscrição para o RC TRD é individual para PILOTO e GARUPA, e deverá ser garantida e confirmada em até 15 dias antes da data prevista para o RC TRD, a fim de viabilizar ou não o evento.

7. PLANILHA DE NAVEGAÇÃO (PLANAV)

a. O planejamento do deslocamento onde será realizado o RC TRD deverá ser feito em uma Planilha de Navegação (PLANAV) que mostre as distâncias, estradas, rodovias, pontos de abastecimento e outras referências, inerentes a uma viagem de moto, que será fornecida previamente ao RC em avaliação.

b. No mesmo dia, imediatamente após a conclusão do PROGRAMA DE IMERSÃO EM DPD, será realizado o BRIEFING DE PARTIDA para o RC TRD, em horário a ser definido, quando será utilizada a PLANAV e conferido o ROL DE PILOTOS participantes dos Trens de Moto, de Treinamento e Avaliação.

c. O DESLOCAMENTO do RC TRD, comum ao Dia de Treinamento e ao Dia de Avaliação, será subdividido em PERCURSOS de aproximadamente 50 (cinquenta) km, que serão sorteados entre os motociclistas candidatos a RC, durante o Briefing de Partida.

d. Em princípio, o RC TRD será realizado no fim de semana, subsequente ao fim de semana do Programa de Imersão em DPD.

8. FICHA DE AVALIAÇÃO DE RC

a. Antes, durante e após os deslocamentos do RC TRD, o motociclista candidato a RC será avaliado pelo Instrutor da SVM quanto ao exercício da função de RC no emprego dos Princípios Críticos de Deslocamento e na execução dos Protocolos de Pilotagem Defensiva deduzidos.

b. A Ficha de Avaliação utilizada no RC TRD consolida as situações principais de emprego dos Protocolos de Pilotagem Defensiva deduzidos, que devem ser cumpridos pelo motociclista candidato a RC quando liderar o Trem de Motos.

c. Após a realização da Avaliação, o Instrutor disponibilizará a Ficha de Avaliação do motociclista candidato a RC preenchida, incluindo as observações a serem corrigidas e o Grau de Avaliação atribuído.

9. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

a. O Protocolo de Pilotagem Defensiva deduzido primordial do PRINCÍPIO DA MOBILIDADE é manter o Trem de Motos na FAIXA 1 E NA VELOCIDADE DA ESTRADA, tendo em vista ser essa uma ação primária para REDUZIR O RISCO.

b. O Protocolo de Pilotagem Defensiva deduzido primordial do PRINCÍPIO DA ANTECIPAÇÃO é manter o Trem de Motos na MELHOR OPÇÃO DE RASTRO DOS PNEUS, marcados pela passagem dos veículos, tendo em vista ser essa uma ação primária para REDUZIR O RISCO.

c. O descumprimento dos Protocolos de Pilotagem Defensiva deduzidos possibilitará a recorrência e convergência de situações de RISCO, passíveis de causar DANO.

d. O Grau de Avaliação atribuído é diretamente proporcionais a quantidade de Protocolos bem executados, variando entre MB (Muito Bom), B (Bom), R (Regular) e D (Deficiente).

e. O motociclista candidato a RC receberá o Grau MB se mantiver o Trem de Avaliação na Velocidade da Estrada e mantendo o rastro com facilidade MESMO EM CURVA; e cumprir mais de 80% dos Protocolos DPD. Assim será APROVADO.

f. O motociclista candidato a RC receberá o Grau B se mantiver o Trem de Avaliação na Velocidade da Estrada e o rastro com facilidade, porém PERDENDO VELOCIDADE NAS CURVAS; e cumprir até 80% dos Protocolos DPD. Assim será APROVADO.

g. O motociclista candidato a RC receberá o Grau R, se mantiver o Trem de Avaliação na Velocidade da Estrada e o rastro com dificuldade, PERDENDO VELOCIDADE NAS CURVAS; e cumprir 60% dos Protocolos DPD. Assim será APROVADO.

h. O motociclista candidato a RC receberá o Grau D se mantiver o Trem de Avaliação abaixo da Velocidade da Estrada na Faixa 1, cumprir menos de 60% dos Protocolos DPD ou caso coloque o Trem de Motos em flagrante PERIGO. Assim será REPROVADO.

i. A Avaliação será realizada pelo Instrutor da SVM.

j. A possível aprovação do motociclista como Road Captain significa apenas que o motociclista tem condições de assumir as funções de Volante (VO) e Ferrolho (FE) em Trens de Motos de EQUIPES DE RC FORMAIS, ou seja, equipes que pertençam a entidades de motociclismo que pratiquem a DPD e tenham controle das Escalas de suas Equipes de RC.

10. CERTIFICAÇÃO DE ROAD CAPTAIN & ROAD NAVIGATOR

a. Caso o motociclista Aluno seja APROVADO, o Piloto e a Garupa receberão os CERTIFICADOS DE ROAD CAPTAIN e ROAD NAVIGATOR, respectivamente, tendo o direito ao uso permanente dos respectivos PATCHES DA SVM.

b. Caso não seja aprovado, poderá se inscrever, novamente, e se submeter a um outro RC TRD.

c. A Garupa do motociclista candidato a RC aprovado receberá a Certificação de ROAD NAVIGATOR desde que tenha participado de todos os Módulos de Pilotagem Defensiva e do RC TRD.

d. A principal finalidade da certificação de ROAD NAVIGATOR é valorizar a participação da garupa na estrada, alterando o seu papel de simples passageira para membro operacional da equipe, mediante os conhecimentos a serem adquiridos, em especial sobre SEGURANÇA e NAVEGAÇÃO.

11. PROGRESSÃO DE CAPACITAÇÃO OPERACIONAL DE ROAD CAPTAIN

11.1. A fim de possibilitar a maior SEGURANÇA nos deslocamentos dos Trens de Moto (Comboio Civil), será adotada a Progressão de Capacitação Operacional, no exercício das funções inerentes a ROAD CAPTAIN, como estímulo ao aperfeiçoamento continuado do motociclista, visando a excelência como piloto e a máxima competência em REDUZIR O RISCO na via.

a. A aprovação ou não de todas as fases da Progressão de Capacitação Operacional é competência do Conselho de Instrutores, que deve ser constituído por no mínimo 3 (três) Instrutores da SVM, que examinarão o cumprimento das exigências dos níveis operacionais anteriores, cujo resultado deve ser homologado pelo Presidente da SVM.

b. Na eventualidade de ocorrer a indisponibilidade de Instrutores com o Nível Operacional Pleno (Gold Star) para formar o Conselho de Instrutores, a aprovação ou não de qualquer fase da Progressão de Capacitação Operacional será realizada pelo Presidente da SVM.

c. O motociclista aprovado no processo de elevação de nível fará jus ao certificado correspondente.

d. O Road Captain, que não for certificado pela SVM poderá participar do Processo de Capacitação Operacional se tiver sido certificado por Instrutor da SVM em Pilotagem Defensiva, Comboio Civil e Viagem de Moto, conforme a Doutrina de Pilotagem Defensiva preconizada pela SVM. Então poderá galgar a fase superior, desde que tenha a Ficha de Avaliação com grau MB. Caso não possua o grau MB, poderá se inscrever em um RC Test Ride Days, promovido pela SVM, a fim de conseguir o grau exigido.

e. Além da experiência nas Funções de RC adquirida nos Trens de Moto da SVM, serão consideradas para efeito de cômputo de quilometragem as experiências acumuladas no exercício das FUNÇÕES DE ROAD CAPTAIN (RC, FE e VO), em passeios e viagens,  em Trens de Motos com Equipes de RC Formais, ou seja, equipes que pertençam a entidades de motociclismo, que tenham distintivos ou escudos, pratiquem a DPD e tenham o controle da Escalas de suas Equipes de RC, considerados os prazos limites de validade dessas experiências passadas.

f. São consideradas entidade de motociclismo, os Harley Owners Group Chapters, os Moto Clubes e os Moto Grupos, além de outras entidades similares, que se adequem a letra “e” deste artigo, número 11.

g.. Às decisões dos Instrutores, do Conselho de Instrutores e do Presidente da SVM sobre avaliação ou homologação de documentos comprobatórios não cabem recurso, a não ser que haja fato novo.

11.2. A PROGRESSÃO DE CAPACITAÇÃO OPERACIONAL visa valorizar a responsabilidade, a dedicação e a competência do motociclista, criando uma distinção de níveis operacionais, desde o iniciante na função até ao mais experiente, e será processada em 6 (seis) fases, com COMPETÊNCIAS definidas, segundo o atendimento das seguintes EXIGÊNCIAS:

I. ROAD CAPTAIN NÍVEL BÁSICO - RC BRONZE STAR

a. possuir a certificação inicial de RC emitida pela SVM por atender as exigências elencadas no Art. 14 do Regulamento da SVM.

b. COMPETÊNCIAS PREVISTAS: Exercer as funções de FERROLHO e VOLANTE nas Equipes de RC, em passeios.

II. ROAD CAPTAIN NÍVEL INTERMEDIÁRIO - RC SILVER STAR

a. possuir certificação de Road Captain White Star, com o GRAU DE AVALIAÇÃO MUITO BOM (MB), em primeira ou posteriores avaliações, durante um RC Test Ride Days promovido pela SVM;

b. ter exercido as FUNÇÕES DE FE e VO por mais de 4.000 Km, durante os últimos 24 meses, comprováveis e computáveis, retroativamente, a contar da data de solicitação de progressão de capacitação operacional, conforme a letra "e" do item 11 deste documento;

c. ser aprovado em CONDUÇÃO EM TRÂNSITO URBANO COM O GRAU DE AVALIAÇÃO MB, durante o Road Captain Test Ride Days, realizado pela SVM;

d. solicitar a SVM a certificação de Road Captain Silver Star, a ser concedida mediante a homologação da comprovação das exigências deste tópico; e

e. COMPETÊNCIAS PREVISTAS: Exercer as funções de FERROLHO e VOLANTE nas Equipes de RC, em passeios e viagens.

III. ROAD CAPTAIN NÍVEL AVANÇADO - RC GOLD STAR

a. possuir certificação de Road Captain Intermediário (RC Silver Star);

b. ter realizado o CURSO DE DOUTRINA DE PILOTAGEM DEFENSIVA há menos de 12 (doze) meses, a contar da data de solicitação de progressão de capacitação operacional; 

c. c. ter exercido a FUNÇÃO DE RC NOS TREINAMENTOS E AVALIAÇÕES DO RC TEST RIDE DAYS, POR MAIS DE 2.000 KM, durante os últimos 24 meses, computáveis retroativamente a contar da data de solicitação;

d. ser aprovado em CONDUÇÃO EM TRÂNSITO URBANO E RODOVIÁRIO COM O GRAU DE AVALIAÇÃO MB, durante um passeio ou viagem, realizados pela SVM;

e. solicitar a certificação de Road Captain Gold Star, a ser concedida mediante a homologação da comprovação das exigências deste tópico; e

f. COMPETÊNCIAS PREVISTAS: Exercer as funções de ROAD CAPTAIN nas Equipes de RC, em passeios e viagens.

IV. INSTRUCTOR NÍVEL BÁSICO (IN BRONZE STAR) - em elaboração.

a. possuir certificação de Road Captain Nível Avançado;

b. ter exercido a FUNÇÃO DE RC NOS TREINAMENTOS E AVALIAÇÕES DO ROAD CAPTAIN TEST RIDE DAYS, por mais de 2.000 Km, durante os últimos 24 meses, computáveis retroativamente a contar da data de solicitação;

c. ser aprovado na realização de WORKSHOP SOBRE O MÓDULO 1 - FUNDAMENTOS DE PILOTAGEM;

d. ser aprovado na realização dos DEBRIEFINGS DE DESLOCAMENTO, DURANTE UM ROAD CAPATAIN TEST RIDE DAYS; e

e. solicitar a certificação de Instructor White Star, a ser concedida mediante a homologação da comprovação das exigências deste tópico.

V. INSTRUCTOR NÍVEL INTERMEDIÁRIO (IN SILVER STAR) - em elaboração.

a. possuir certificação de Instructor Nível Básico;

b. ter exercido a FUNÇÃO DE RC NOS TREINAMENTOS E AVALIAÇÕES DO ROAD CAPTAIN TEST RIDE DAYS, por mais de 2.000 km, durante os últimos 24 meses, computáveis retroativamente a contar da data de solicitação;

c. ter realizado a PROVA SADDLESORE 1000 ou prova superior com a documentação comprobatória correspondente homologada pela Iron Butt Association - Brazil ou pela SVM; e

d. ser aprovado na realização de WORKSHOP SOBRE O MÓDULO 2 - CRITÉRIOS CRÍTICOS DE DESLOCAMENTO;

e. solicitar a certificação de Instructor Silver Star, a ser concedida mediante a homologação da comprovação das exigências deste tópico.

V. INSTRUCTOR NÍVEL AVANÇADO(IN GOLD STAR) - em elaboração.

a. possuir certificação de Instrutor Intermediário (Silver Star);

b. realizar uma viagem a Ushuaia, no extremo sul da Argentina;

c. ser aprovado na realização de WORSHOP SOBRE A DOUTRINA DE PILOTAGEM DEFENSIVA - Todos os Módulos; e

d. solicitar a certificação de Instructor Gold Star, a ser concedida mediante a homologação da comprovação das exigências deste tópico.

12. QUEM SOMOS:

Website: www.svm-pd.com.br

Facebook – Viagens de Moto:

https://www.facebook.com/artur.albuquerque

www.facebook.com/sociedadedosviajantesdemoto

www.facebook.com/ushuaiaviajardemotoparaelfindelmundo

www.facebook.com/extremoalaskaafronteiradasolidao

WhatsApp 21 99787-0166

Um acidente é a convergência de pequenas falhas desculpáveis - SVM

Rio de Janeiro, 30 de dezembro de 2021.

Artur Albuquerque Silva Filho

Instrutor Responsável SVM

(2º Ofício de Registro de Títulos e Documentos da cidade do Rio de Janeiro – Nº CERD 4329260)